Entre em contato conosco


Economia

Cidades do Triângulo e Alto Paranaíba arrecadam mais de 70% do IPVA 2017

Published

on




Um balanço divulgado nesta quinta-feira (6) apontou os 16 municípios de Minas Gerais que mais já arrecadaram o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2017. Três cidades do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba aparecem entra as onze com maior arrecadação, são elas: Uberlândia e Uberaba e Patos de Minas. Elas arrecadaram mais de 70% do valor total previsto.

Conforme o balanço, até o último dia 31 de março, Uberlândia arrecadou R$ 164.897.146,15 e é a segunda colocada no ranking, atrás apenas de Belo Horizonte. O total emitido para o ano é R$ 230.473.691,94. O valor é aproximadamente 1% superior ao contabilizado no mesmo período de 2016, quando a arrecadação foi de R$ 94,8 milhões.

Uberaba aparece na quinta posição, com arrecadação de R$ 71.543.408,89. O total emitido é de R$ 103.577.213,87. Vale lembrar a importância do tributo para os municípios, que ficam com 40% do valor arrecadado.



Patos de Minas é a cidade do Alto Paranaíba que mais arrecadou R$ 39.147.135,72. O valor corresponde mais de 77% do número total. O Município está na 11ª posição no Estado.

Números no estado
Em Minas Gerais, a arrecadação do IPVA 2017 atingiu, até 31 de março, R$ 3,45 bilhões, O valor é 7% superior ao arrecadado no mesmo período de 2016 e representa 76,5% do total esperado para este ano, que é R$ 4,51 bilhões.

Os contribuintes inadimplentes com a primeira parcela vão pagar multa de 0,3% ao dia até o 30º dia e 20% após esse período, além dos juros (Taxa Selic acumulada do mês posterior ao vencimento até o mês do pagamento). Caso continuem inadimplentes após o final da escala de vencimento, em março, terão os débitos inscritos em dívida ativa e serão encaminhados a protesto cartorial para cobrança dos valores devidos.

Alerta
O subsecretário João Alberto Vizzotto alerta aos cidadãos que a Secretaria de Fazenda não envia para os contribuintes nenhum tipo de boleto do IPVA por Correios, e-mail, SMS ou redes sociais, como WhatsApp. “Se alguém receber esse tipo de cobrança deve ignorar, pois, caso pague, não estará pagando à Secretaria de Fazenda”, afirmou.

Fonte: G1


Um site de notícias de Rio Paranaíba e região com precisão e responsabilidade.

Advertisement