Entre em contato conosco


Araxá

Trio condenado por latrocínio de casal em Araxá tem sentença reformada

Published

on




Os três jovens condenados pelo latrocínio (roubo seguido de morte) do casal Higor Humberto Fonseca de Sousa e Rafaela D’Eluz Giordani, em Araxá, tiveram a sentença reformada após deferimento parcial do recurso apresentado pela defesa dos réus junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). As penas somadas da sentença na comarca da cidade do Alto Paranaíba, ultrapassavam 140 anos de prisãoem regime fechado. Agora são 136.

A decisão em segunda instância foi proferida pela 2ª Câmara Criminal do TJMG, em Belo Horizonte, durante julgamento na última quinta-feira (13).

A sentença da comarca de Araxá foi publicada em outubro do ano passado. O autor Yuri Santiago Borges, 22 anos, foi condenado a 53 anos de prisão e Igor Rafael de Paula Silva, de 18 anos, a 44 anos e seis meses de prisão. Além de latrocínio, os dois cumprem pena por corrupção de menores por envolver adolescentes no crime.

Os dois adolescentes estão no Centro de Reeducação do Adolescente (Cerad) depois de serem condenados a até três anos de internação. A cada seis meses uma equipe avalia se eles poderão retornar ao convívio social.

Já Vinícius Henrique Machado da Mata, 20, foi condenado a 44 anos de prisão também por latrocínio.



A assessoria de comunicação do Tribunal informou que Yuri teve a pena final aumentada para 54 anos, sete meses e 16 dias de reclusão. A pena do réu Igor foi atenuada para 41 anos, 11 meses, dez dias de reclusão e 20 dias-multa. O comparsa Vinícius Henrique também vai cumprir pena reduzida de 40 anos de reclusão, além de pagamento de 20 dias-multa.

O cumprimento da pena dos três permanece em regime fechado. A reportagem tentou saber mais detalhes sobre o assunto, mas o acórdão só será publicado na íntegra na próxima semana.

CRIME

O casal foi encontrado morto dentro de casa no Bairro Veredas do Belvedere em janeiro de 2016. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apresentou que as vítimas foram torturadas e depois mortas a facadas.

A jovem tinha 12 perfurações pelo corpo e os cortes estavam cobertos com açúcar e o marido dela teve cerca de 100 perfurações no peito e no tórax e estava coberto por fubá de milho. De acordo com a Polícia Militar (PM), foram furtados da casa TVs, caminhonete, dinheiro e joias.

Fonte: G1


Um site de notícias de Rio Paranaíba e região com precisão e responsabilidade.

Advertisement