Oito toneladas de queijo com selo e rótulos falsificados são apreendidos e destruídos em Carmo do Paranaíba


Fiscais do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e Polícia Militar de meio Ambiente de Carmo do Paranaíba, apreenderam nesta quinta-feira (18/07), aproximadamente 8 mil quilos de queijo que se encontravam com selos de qualidade e rótulos falsificados. O fato ocorreu em cumprimento de mandado de busca e apreensão em desfavor do estabelecimento Comercial Marieli LTDA, situado na Rua Etelvina Angélica, no Bairro Bela Vista, sendo que a ação tinha como objetivo apurar denúncia anônima referente a fiscalização de rótulos e selos para comercialização de queijos.

De acordo com o boletim de ocorrência, durante os trabalhos de buscas foi constatada uma grande quantidade de queijos armazenados no local, sendo que a maioria já se encontrava embalada com rótulos/selos. Também no local foram localizados milhares de embalagens plásticas personalizadas com rótulos e selos de várias marcas de queijos que possuem certificados de qualidade, mas todas falsificadas. Em conversa com o proprietário da empresa Paulo de Oliveira Santana, 54 anos, ele relatou aos fiscais que os queijos são adquiridos em fazendas do município e região.

Durante análise mais detalhada ficou confirmado que os rótulos e selos falsificados, eram para embalagem de queijos Minas Artesanal, sendo que neles constavam que o empreendimento possuía registro no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI). Mas o que ficou confirmado foi que o estabelecimento não possuía registro no SISBI nem cadastro no IMA, para comercialização de queijos. Ainda segundo a ocorrência, Paulo contou que todo queijo manipulado no empreendimento é comercializado em Belo Horizonte, e que os rótulos e selos falsificados para embalar a mercadoria são adquiridos no mercado central da capital.

Devido ao empreendimento não possuir registro ou cadastro nos órgãos competentes para comercializar produtos de origem animal, e também como os selos é rótulos dos produtos eram falsificados, os fiscais do IMA fizeram a apreensão de todos os queijos e rótulos que foram encontrados no local. Em seguida os queijos acabaram sendo levados para o aterro sanitário de Carmo do Paranaíba, onde foram destruídos e enterrados em valas. Já o autor Paulo Oliveira Santana foi preso em flagrante delito e encaminhado para a delegacia de polícia na cidade de Patos de Minas. A câmara fria e o galpão usado na atividade do empreendimento também foram lacrados.

Fonte: Tô na Mídia CP

COMPARTILHAR
Um site de notícias de Rio Paranaíba e região com precisão e responsabilidade.