Entre em contato conosco


Destaque

Pesca no Rio Paranaíba será proibida a partir de 1º de novembro com início da Piracema

Published

on




No Rio Parabaíba a pesca fica proibida até com vara de mão. (Foto: Reprodução/Patos Hoje)

No Rio Parabaíba a pesca fica proibida até com vara de mão. (Foto: Reprodução/Patos Hoje)

A pesca esportiva ou profissional no Rio Paranaíba estará proibida a partir da próxima terça-feira, 1º de novembro. É o início da Piracema que nesta edição irá até o dia 28 de fevereiro de 2017. O Instituto Estadual de Floresta reeditou três portarias estabelecendo as regras para a pesca no Estado de Minas durante o período.

Embora esteja totalmente poluído no trecho que corta o perímetro urbano de Patos de Minas, o Rio Paranaíba continua sendo destino de muitos pescadores. A partir de primeiro de novembro, eles estarão proibidos de praticar a pesca, mesmo usando apenas vara de mão. As portarias do IEF também proíbem a pesca no Rio da Prata e no Rio Abaeté, assim como nos rios Quebra Anzol, Tejuco e Araguari.



É nesta época do ano que os peixes sobem a correnteza dos rios para se reproduzem. As regras estabelecidas pelas portarias do Instituto Estadual de Floresta são para garantir a sobrevivência das espécies e impõe outras restrições e normas rigorosas, como a fiscalização de estabelecimentos que comercializam peixes.

Há restrições inclusive para os locais onde a pesca permanece permitida, como nos reservatórios de hidrelétricas. Nesses casos, como em Nova Ponte, os pescadores só poderão utilizar vara de mão e molinete, sendo limitado o número de cinco varas e três quilos de pescado mais um exemplar por pescador.

A Polícia Militar de Meio Ambiente será responsável pela fiscalização. O pescador profissional ou amador que for flagrado desrespeitando as normas da portaria poderá ser preso em flagrante e conduzido para a Delegacia da Polícia Civil, além de ter o material apreendido e ainda poderá ser multado.

Fonte: Patos Hoje


Um site de notícias de Rio Paranaíba e região com precisão e responsabilidade.

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *