Entre em contato conosco


Notícias

Ex-religioso acusado de vários estupros em Patos de Minas é condenado a 24 anos de prisão

Published

on

A condenação do religioso Fabio Martins Rocha, conhecido como “Bin”, saiu nessa terça-feira (25). O religioso foi condenado pelos 5 estupros a que foi denunciado. A pena foi de 24 anos que deve ser cumprida inicialmente em regime fechado. A defesa já manifestou que vai recorrer.

Fabio foi condenado pelo crime de estupro em continuidade delitiva. Neste caso, ao invés de somar as penas de cada delito praticado, o juiz entendeu que ele deveria ser condenado por um estupro com pena de 8 anos de forma triplicada, o que resultou nos 24 anos.

Ele foi absolvido do crime de tentativa de roubo. O advogado de defesa, Gustavo Virgílio, disse que pretende recorrer da sentença. O defensor informou que ainda não foi intimado formalmente da decisão, tendo tomado conhecimento somente através da imprensa.


Ele relatou que, da forma que teve conhecimento, apesar de os pedidos da defesa terem sido quase todos providos, no que tange à aplicação da pena, quanto à continuidade delitiva, o que exasperou a pena para 24 anos, vai estudar a viabilidade de interpor recurso para diminuir a pena.

Nas demais hipóteses, a defesa disse acreditar que foi um grande sucesso. “Em especial, a absolvição do crime de roubo tentado, e por ter conseguido uma pena que ficou razoavelmente abaixo do que seria fixado em caso de concurso material de crimes, que poderia facilmente ultrapassar até 40 anos de pena”, concluiu Gustavo Virgílio.

Os crimes tiveram grande repercussão e causaram pânico à época

Fábio foi preso durante uma tentativa de assalto na Avenida Patrício Filho. Primeiro, ele anunciou o assalto, mas depois empurrou a proprietária para o provador e tentou praticar o abuso. Ela gritou e pessoas próximas conseguiram dominá-lo. A partir da prisão, a Polícia Civil conseguiu elucidar a série de estupros na cidade.

Fonte: Patos Hoje

Um site de notícias de Rio Paranaíba e região com precisão e responsabilidade.

Siga-nos nas redes sociais

Últimas notícias