Entre em contato conosco


Notícias

Ex-prefeita de Santa Rosa da Serra e marido são presos durante Operação ‘Éden’

Published

on

A ex-prefeita de Santa Rosa da Serra, Cleide Maria Ferreira Rangel, e o marido dela, Ronaldo Rangel, foram presos na manhã desta sexta-feira (26), durante a Operação “Éden”, deflagrada pelas delegacias de Polícia Civil de Campos Altos e Ibiá, no Alto Paranaíba, com apoio da Delegacia Regional de Araxá. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos durante toda a manhã. O sobrinho de Cleide, de 33 anos, também foi preso.

Segundo a Polícia Civil, o casal é investigado pelos crimes de responsabilidade administrativa, peculato, corrupção, entre outros. Eles foram presos em casa, por meio de mandados judiciais, cumpridos pelo delegado responsável pelas investigações, André Luís de Campos. A polícia apreendeu vários documentos na Prefeitura da cidade.

O delegado André Luís de Campos contou que, há cerca de duas semanas, a Polícia Civil de Campos Altos recebeu uma vasta documentação e notícias anônimas informando que a ex-prefeita teria se apropriado de verba pública da cidade usando nomes de terceiros.


“Com base nisso, instauramos inquérito policial e demos andamento às diligências para apurar a responsabilidade fiscal na época que ela era prefeita. No decorrer das investigações, descobrimos que ela estaria tentando ocultar provas, suprimir documentos e intimidar testemunhas, e, inclusive, tentou fugir para outro estado para tentar evitar ser presa. Nesta quinta-feira representamos a prisão preventiva da ex-prefeita, do marido dela, que a auxiliava, e de mais uma pessoa, que chegou a concatenar com ela uma possível agressão a testemunha”, explicou.

O delegado Victor Hugo Heisler, da 2ª Delegacia Regional de Araxá, acompanhou os trabalhos. “Ela falsificava documentos, como notas fiscais, para trazer prejuízo ao servidor público. As prisões preventivas foram decretadas pela Justiça com o aval do Ministério Público, tendo em vista que essas três pessoas presas estavam ameaçando e coagindo testemunhas, sumindo provas e planejando sair do estado”, complementou.

Ainda conforme o delegado André Luís, não há uma quantia exata mas, estima-se que, entre 2013 e 2016, o desvio feito da Prefeitura de Santa Rosa da Serra foi de valor consideravelmente alto. Ainda conforme a polícia, as investigações vão continuar para apurar outros eventuais envolvidos no crime.

Fonte: G1

Um site de notícias de Rio Paranaíba e região com precisão e responsabilidade.